GPD Web

Recurso do Chrome que força conexão HTTPS começa a ser distribuído para todos

Compartilhar

Há algum tempo, o Google trabalha para usar exclusivamente o protocolo HTTPS como acesso padrão no navegador Chrome. A ideia é garantir o acesso direto a essa conexão mais segura de modo automatizado para todos os usuários. Após os inúmeros testes, o recurso disponível no Chrome Canary deve ser enviado ao canal estável nas próximas semanas.

Na versão 90 do navegador, a companhia já havia alterado o comportamento da barra de endereços para alterar para o HTTPS como padrão e retornar para a versão tradicional caso o modo criptografado não estivesse disponível.

Além da questão de segurança, o protocolo também costuma trazer melhor velocidade de carregamento para sites construídos sob medida, o que é crucial para a internet móvel.

Esse passo visa aplicar o novo modelo de segurança a todas as conexões, incentivando a construção de sites sob este protocolo. O modo “apenas HTTPS” começará a aparecer como uma alternativa para quem escolher a opção “Sempre usar conexões seguras” nas configurações avançadas do navegador. O Chrome vai emitir um alerta toda vez que você acessar uma página insegura.

Ele abrirá normalmente a página, mas continuará a exibir esse aviso de insegurança e poderá bloquear certos tipos de conteúdo e downloads, pelo menos é isso o que ocorre no Canary atualmente. Ele também deve manter o protocolo antigo para endereços IP, hostnames e domínios de rótulo único.

Devido a isso, pode ser que alguns sites funcionem com falhas no Chrome quando o modo estiver ativado. O Mozilla Firefox, que recebeu um opção semelhante no ano passado, tem problemas ao carregar recursos quando o “Somente HTTPS” está habilitado. Nesses casos, somente a desativação da opção faz com que tudo volte ao normal.

Criptografia é realidade

Segundo o Google, as páginas com transmissão de dados via HTTPS já correspondem a 82% da internet. O protocolo é praticamente indispensável para atuação no segmento de e-commerce ou coleta de dados do usuário.

O buscador Google dá destaque maior a páginas que possuem o cadeado de segurança, o que serve como incentivo para que todos o usem. Com cada vez mais navegadores adaptados ao modelo, os desenvolvedores começam a produzir apenas versões seguras das páginas, sem a necessidade de fazer o redirecionamento que causa lentidão e outros problemas.

O Chrome já fazia essa mudança automática e agora deixará a conexão criptografada como acesso padrão, indispensável para a navegação segura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 1 =